Fale Conosco:
(55) 3314-1315 | 9961-3595 | grokker@grokkeronline.com | linkeding youtube youtube

Não seja só um “Severino”!

Não seja só um “Severino”!

Bom, primeiro vou lhe explicar quem é o Severino e depois porque você não deve ser um funcionário como ele.

O Severino era um personagem de um programa de humor que interpretava um porteiro de uma emissora de TV e ele era considerado por todos como um “pau pra toda obra”. Quando a emissora tinha uma gravação e faltava um equipamento, o Severino era requisitado para “quebrar o galho”. Contar com um profissional assim é muito bom para a empresa, mas pode ser uma “sentença de morte” para quem deseja voos mais altos.

Muito se tem ouvido falar que as empresas buscam cada vez mais funcionários flexíveis, adaptáveis, multifuncionais, entre tantas características. E é verdade. Mas o ponto que quero abordar, vai além disso.

Um profissional “Severino” é aquele que, além de exercer as suas funções, desempenha também outras funções, operacionais. Ele sabe onde fica tudo, sabe como ligar a máquina de xerox, arrumar a máquina de café... Em um dia ele está trocando uma lâmpada, no outro contando estoque, e no terceiro alimentando uma planilha...Ele parece ser um funcionário “super-herói”, mas essas tarefas operacionais podem estar “empacando” sua carreira profissional.

Ser um “Severino” pode até render alguns elogios, mas “cá para nós” nenhuma empresa oferece uma vaga de Severino Júnior ou Sênior. Não espere precisar de um novo emprego para descobrir que você é uma “espécie” de especialista sem especialização.

É muito comum que os colegas deste profissional se detenham em suas carreiras profissionais, ou seja, focam mais no estratégico e deleguem algumas atividades operacionais como se fosse de sua responsabilidade (já que você faz mesmo). Então é só você adentrar na sala que uns dois “colegas” já te chamam para fazer algo do tipo: Fulano dá para trocar o cartucho da minha impressora? Ou, digita esse documento aqui para mim? O problema de tornar-se operacional demais é que você acaba ficando sobrecarregado e não tendo tempo para dedicar-se mais à sua função.

Ser um “Severino” pode ser importante para lhe manter dentro da empresa, mas não gera grandes perspectivas de crescimento. Não digo que você não deva ajudar os colegas, mas seu foco principal não deve ser somente realizar atividades operacionais, e sim investir mais tempo para desenvolver suas habilidades e competências para a função que foi contratado. Isso lhe trará reconhecimento e será mais provável sua ascensão profissional.

Então, para não sermos taxados como “Severino, o operacional” devemos aprender a dizer “não” e nos impor diante de algumas situações. Por exemplo: Quando seu colega pedir para você trocar o cartucho da impressora dele, diga: “Sim Fulano, venha cá que vou lhe ensinar, assim você não dependerá sempre de mim para continuar seu trabalho”. Desta forma você resolve o problema do momento e se livra dele para sempre. Podem parecer poucos minutos... mas exemplos como este ao final do dia tomam quanto do seu tempo?

Pense que quando dizemos “não” para uma pessoa que nos pede algo que ela mesma pode fazer, estamos dizendo um sim para nós mesmos. Tenha consciência de seus limites e prioridades e diga não quando necessário.

Se aceitar tudo que lhe vem, com o passar dos anos é natural que as pessoas não notem seu desempenho e progresso. Neste caso, comece agir agora e faça-os perceberem. Uma boa ideia é encaminhar atualizações do andamento de seus projetos ou agendar pequenas reuniões para mostrar no que está trabalhando.

Então, você ou sua equipe o consideram um “Severino”? Conte-me o que tem feito para mudar esse “rótulo” ou como tem se sentido.

Um grande abraço.

22 Abril 2016 Escrito por 

Comentários