Fale Conosco:
(55) 3314-1315 | 9961-3595 | grokker@grokkeronline.com | linkeding youtube youtube

Mostrando itens por tag: empregabilidade

Como anda sua empregabilidade?

04 Agosto 2015
Publicado em Blog

O aumento competitividade tem gerado profundas mudanças no ambiente empresarial, exigindo das empresas um melhor gerenciamento de suas competências.

Hoje é necessário que as organizações estejam atentas à necessidade de contratar e avaliar seus profissionais não só pelos conhecimentos que eles trazem em suas bagagens, mas, sobretudo, pelas habilidades que possuem e suas atitudes, para que tais conhecimentos agreguem valor no dia-a-dia.

Quando estudamos sobre competências normalmente aprendemos, de forma bem simples, que competência é o conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes (CHA), que uma pessoa demonstra. Atualmente, o CHA é um assunto mais do que conhecido entre profissionais, sejam eles de RH ou não.

Mas hoje quero propor uma reflexão sobre talvez o aspecto mais relevante: o "A" do CHA.

A procura e disputa por bons profissionais é muito grande; mas, o que é ser um "bom profissional"?

Aposto que você já soube de entrevistas de emprego onde somente o conhecimento técnico é avaliado : “este profissional conhece profundamente a área, se formou em uma das principais universidades do país...”

E quantas vezes você já se deparou com um colega de trabalho que sabe muita teoria, mas não consegue aplicar essa teoria na prática para a geração de resultados para a empresa?

Algo não está fechando nesta conta.

Claro que a capacidade técnica não perdeu a importância, mas a atitude, por sua vez, é o conjunto de comportamentos que potencializam o conhecimento e a habilidade.

Como será a valorização de cada competência pela empresa cabe à ela mesma definir, mas há comportamentos e atitudes apreciados no mercado e que cada vez mais serão valorizados!

Podemos aprender sobre qualquer coisa, mas a atitude... Não se pode ensinar alguém a ter atitude através da transmissão de informações simplesmente. Treinar e capacitar alguém que tenha atitude é muito mais eficaz, produtivo e agregador do que treinar alguém com conhecimento e habilidade, mas que não tem boas atitudes.

Habilidades técnicas e talento estão sem dúvida relacionados, mas o esforço supera o talento quando o talento não se esforça. Pessoas que possuem relativamente menos talento, mas têm vontade podem adquirir habilidades excepcionais através da prática. A diferença entre esses dois casos é a atitude.

Diante do que foi abordado acima, volte o olhar para si e tente avaliar como está seu nível de empregabilidade – isto é, o quanto você é atraente para o mercado do trabalho no momento.

Quais competências você possui e quais as que precisa aprimorar? Quais atitudes são o seu diferencial e onde há espaços para melhoria? Por que uma empresa o contrataria hoje? O que faz a empresa onde você trabalha querer mantê-lo em sua folha de pagamento?

Quem tem conhecimentos e habilidades mas não tem as atitudes necessárias desagrega, cria muros ao invés de pontes. E muros limitam e isolam. Pontes levam de um lugar ao outro... De onde você está até onde você quer chegar!

Até a próxima.

Como mencionamos no artigo anterior e creio não ser novidade para ninguém, estamos em plena crise em nosso país.

Um elevado número de empresas está perdendo contratos, precisam frear a produção, se deparam com a redução das perspectivas de novos negócios, aumentam o número de demissões, o desemprego cresce, inflação sobe, o PIB cai, a corrupção toma proporções assustadoras, etc. O cenário atual é um dos piores da história recente do Brasil... senão o pior!

E entre estes fatores desfavoráveis, as empresas e as pessoas precisam garantir a sua sobrevivência. Como a taxa de desemprego só cresce, é inevitável o sentimento de insegurança das pessoas, com medo de perderem seus empregos. O pensamento que se instala é: Será que serei o próximo? O que farei se isso acontecer?

Se você está empregado o importante é fazer algo para continuar, e não ser o próximo na lista de demissões da sua empresa.

A palavra crise no vocabulário chinês significa oportunidade de crescimento, portanto pode ser um momento propício para você avaliar as suas atitudes e escolher para si as melhores armas para enfrentar essa situação.

Infelizmente, não existe uma fórmula mágica para resolver o problema, mas abaixo seguem algumas dicas que podem ajudá-lo a superar esta situação da melhor maneira possível:

- Não se conformar com a situação é um dica importante, pois muitas pessoas diante de situações adversas ao invés de tomar uma atitude proativa optam por entregar os pontos, queixar-se e ficar lamentando a situação. Isso não ajudará em nada, as empresas buscam profissionais que estejam dispostos a ajudar e proponham melhorias para enfrentar as dificuldades;

- Acredite - Acreditar que esta situação não é definitiva, que sempre há uma saída e as coisas vão melhorar ajudará você a sentir-se motivado e confiante para tomar decisões;

- Desenvolver a inteligência emocional – capacidade de atuar com maturidade e equilíbrio na expressão de sentimentos, interesses, necessidades e expectativas frente às diferentes situações enfrentadas, principalmente diante de crises. Descarregar as tensões e frustrações de forma violenta ou desequilibrar-se pode gerar maiores complicações. O momento pede paciência, equilíbrio e calma!

- Pratique a resiliência – Mesmo em momentos de adversidade ser flexível e ter capacidade de adaptar-se as mudanças. Em momentos de crise as cobranças exercidas sobre as pessoas normalmente são maiores. Pessoas que possuem um alto poder de resiliência tem maior possibilidade de sucesso;

- Seja mais produtivo – Dê o máximo de si no seu trabalho, dedique-se, esforce-se como nunca para atingir suas metas, realizar adequadamente suas atividades na primeira vez, aumentar a exigência sobre sim mesmo. Busque superar-se, ir além do que a empresa espera de você;

- Tenha iniciativa – seja proativo, mostre o seu interesse pela empresa e em continuar fazendo parte da mesma. Mostre-se disposto a enfrentar os novos desafios;

- Invista em criatividade e inovação - sugira ideias inovadoras, proponha novas alternativas, por exemplo, para reduzir custos e desperdícios, fazer mais com menos, etc. Use a sua criatividade para ajudar a empresa. A sua ideia pode fazer toda a diferença;

- Qualifique-se – Procure estudar, especializar-se, ler, mantenha-se informado, faça aquele curso que há algum tempo deseja, adquira novos conhecimentos. Os profissionais com um maior nível de qualificação possuem menos chances de serem substituídos ou desligados da empresa (e se demitidos possuem chances muito maiores de se recolocar rapidamente);

- Aproveite o seu tempo ocioso para organizar o seu setor, ajudar os colegas, disseminar o conhecimento com a equipe, pesquisar e iniciar um projeto que a empresa está protelando. Torne o seu tempo mais produtivo ainda!

- Mantenha sua integridade - Ainda que ocorram fofocas e intrigas no ambiente de trabalho, preze pela sua integridade e seus valores; tenha uma conduta adequada e postura profissional ética. Isso será essencial para a sua reputação ao longo de sua vida.

Não podemos garantir que se você colocar tudo isso em prática conseguirá evitar uma demissão, pois existem situações que fogem do nosso controle, mas pelo menos assim certamente você manterá a sua empregabilidade!

Lembre sempre da famosa frase de Henry Ford: “Se você acredita que pode ou acredita que não pode, em ambas as situações você está certo”.

Sucesso e boa sorte!

Comentários